Publicações

Revista 9 - 2000

A Natureza da Singularidade da Psicanálise, The Nature of Singularity of Psychoanalysis (Medard Boss)

Com este título, Medard Boss propõem uma nova compreensão das proposições básicas freudianas de resistência e transferência, a partir dos fenômenos que seriam freqüentes na prática da psicoterapia. Tais fenômenos se referem tanto às tentativas do paciente de evitar o mais doloroso para si, como a especial relação que pode surgir entre ele e o terapeuta, a partir da disponibilidade deste para o seu paciente.

Palavras-chave: Psicanálise, Daseinsanalyse, Repressão, Transferência, Solicitude, Cuidado

Abstract: The Nature of the Singularity of Psychoanalysis Here Medard Boss presents a new understanding of Freud’s basic concepts of resistance and transference, frequent phenomena in the practice of psychotherapy. Resistance results from the patient’s unconscious effort to avoid what is painful to him. Transference is the special relationship that may arise between patient and therapist, based on the patient’s need and the therapist’s availability.


Daseinsanalyse e Psicoterapia (Ida Elizabeth Cardinalli)

O presente artigo pretende esclarecer um ponto central da proposta da psicoterapia daseinsanalítica, que enquanto uma proposição fenomenológica prioriza o entendimento do paciente a partir do seu próprio modo de existir e, a partir desta explicitação, procura situar a atuação do terapeuta e alguns procedimentos terapêuticos.

Palavras-chave: Boss, Heidegger, Daseinsanalyse, Fenomenologia, Psicoterapia.

Abstract: Daseinsanalyse and Psychotherapy This paper discusses a central aspect of daseinsanalytical psychotherapy. As a phenomenological procedure, this therapy is based on understanding the patient according to his own way of living and consequently determines the therapists action as well as some therapeutic procedures.


Uma Caracterização da Psicoterapia (João Augusto Pompéia)

A existência é um abrir-se que, a partir do futuro, levando junto o passado, momento a momento, desenrola-se rumo a um horizonte. Somos destinados a caminhar nessa direção e, para tanto, temos necessidade de descobrir um sentido que articule as coisas que compõem a nossa vida. Às vezes o sentido ainda não foi achado, ou foi perdido. Sem sentido não há como nem por que se desenvolver. Tudo se torna mais difícil. A terapia é basicamente a ocasião em que alguém, com o terapeuta, procura este sentido, reaproximando-se da verdade de sua vida.

Palavras-chave: Psicoterapia, Existência Humana, Medard Boss, Daseinsanalyse

Abstract: A Characterization of Psychotherapy Existence is an opening of oneself which, beginning with future and carrying along the past, unfolds moment by moment towards a horizon. We are destined to advance in this direction and to do this we need to discover a meaning to the things our life is made of. Sometimes this meaning has not yet been found or is lost. Without meaning there is no way or motive to develop. Everything becomes more difficult. Therapy is basically the means by which someone, together with the therapist, searches for this meaning, reapproaching the truth of his life.


Desfecho - Encerramento de um Processo (João Augusto Pompéia)

O texto destaca os sentidos da palavra desfecho como algo que finalizou, que foi compreendido e a partir do que novos começos são possíveis. Pensar esta palavra com tudo que ela abarca esbarra numa idéia predominante em nossa cultura: o valor preponderante da eficiência a qual é medida pelos resultados e pela rapidez e é fruto principalmente de uma análise racional das situações. Esta idéia abrange também o que diz respeito à vida, que deveria ser "administrada" segundo tais critérios. Isto entretanto deve ser repensado. Para tanto, dois pontos principais são propostos para reflexão: 1. As coisas da vida precisam de tempo. Aqui não vale a pressa. Nem mesmo para sair do sofrimento. 2. A clareza da razão não tem a hegemonia absoluta nas questões da existência. Estas têm necessidade de uma compreensão que as abarque num outro plano. O sentido nem sempre surge de um iluminado enfoque racional, mas ao contrário, vem chegando a partir da obscuridade.

Palavras-chave: Existência Humana, Psicoterapia, Maturidade, Compreensão, Heidegger.

Abstract: Outcome This text amplifies the understanding of human existence, specially of experiences of finalizing something, of ending, or experiences which require a solution, i.e. situations of conclusion. Such situations also occur in the process of therapy. The word conclusion is seen in its various meanings: something that is clarifies, something that finalizes and in finalizing may originate new beginnings. In the conclusion the meaning of lived experience is comprehended. However, this comprehension does not happen in haste, nor does it come from mere rational understanding alone.


A Trajetória Humana: Uma Perspectiva Daseinsanalitica (Maria Beatriz Cytrynowicz)

Este é o primeiro de três artigos que se propõem a uma compreensão da criança, desenvolvida a partir da perspectiva daseinsanalítica, que tem como base a fenomenologia existencial. Questiona, primeiramente, o conceito de desenvolvimento infantil, comum à psicologia, que se forma na observação geral da maioria e que propõem parâmetros de normalidade e anormalidade. Aponta, então, a importância de considerar a criança como ser humano em particular, relevando a sua condição de ser-no-mundo sempre compartilhada com e pelo outro. E, assim, esclarece como a pergunta sobre como ou quem é a criança só pode ser respondida considerando-se o mundo em que ela vive, em cada caso, no qual está também o próprio adulto que faz a pergunta. Neste sentido, esta pergunta não se refere apenas a uma outra pessoa, mas também responde a pergunta “Quem sou eu?” do adulto.

Palavras-chave: Criança, Desenvolvimento, Ser Humano, Daseinsanalyse, Ser-no-mundo.

Abstract: The Human Trajectory: A Daseinsanalitic Perspective This article is the first three, purporting an understanding of the child from the daseinsanalytical view, which is based on existential phenomenology. Firstly the author questions the concept of child development, common in psychology, formed by observation of the majority and which determines standards of normality and abnormality. He then points out the importance of considering the child as a particular human being, stressing its condition as a being-in-the-world, always shares with and by the other. Finally, he explains that the question of how or who the child is can be answered only by taking into consideration the world in which he or she lives and which the adult who asks the question is also present. In this sense, he question refers not only to another person, but it also answers the adult’s question “who am I”?


O Tempo da Infância (Maria Beatriz Cytrynowicz)

Neste segundo artigo que propõem uma compreensão fenomenológico-existencial da criança, o desenvolvimento infantil é visto como um revelar de possibilidades, o que, ao mesmo tempo, aproxima e afasta o ser humano do possível de si mesmo e do mundo de possibilidades. Ressalta que o existir da criança, desde o início, só pode ser compreendido como uma totalidade, por mais que para isto tenhamos que reconhecer a limitação do alcance de nossa compreensão, e a partir dos modos como se apresenta a sua relação com o mundo mais próximo. Com estas considerações iniciais, pode-se ver mais claramente como se dá a temporalidade e a historicidade na infância, com a primazia do imediato e o surgimento conjunto do passado e do futuro, instigado pala curiosidade da criança.

Palavras-chave: Infância, Tempo, Criança, Crescer, Criar, Descobrir

Abstract: Childhood This second article presents a phenomenological-existential understanding of childhood. The development of the child is regarded as a revealing of possibilities which at the same time approaches the human being to, and distances him from the possible in himself and the world of possibilities. From the beginning the existing child should be understood only as a whole, although to this end we must recognize the limits of the reach of our understanding. It should also be understood from the ways in which its relation with the world shows itself. These initial considerations lead us to see more clearly how temporality and historicity evolve in childhood, with the precedence of the immediate and the simultaneous appearance of past and future, instigated by the child’s curiosity.


O Mundo da Criança (Maria Beatriz Cytrynowicz)

Neste terceiro artigo, em que a compreensão do existir da criança é desenvolvida a partir da fenomenologia existencial, encontramos na relação com o mundo considerações fundamentais: o descobrir das próprias possibilidades e limitações da criança se torna explícito junto ao descobrir da significabilidade do mundo. Somente ai é que podemos ver o surgir da angústia fundamental, das implicações do cuidado na relação do adulto com a criança, como a dependência, a simbiose e a representação, e do sentido radical de ser mortal. Por fim, podemos ver como, no mundo do brincar e da fantasia, encontramos o lugar e a disposição máxima para o descobrir e experimentar das possibilidades próprias e do mundo, intrínsecos ao crescimento de cada criança.

Palavras-chave: Criança, Mundo, Relação Adulto-Criança, Fantasia, Brincar, Realidade

Abstract: The World of the Child The third article develops the understanding of the existing child based on existential phenomenology. In the relation with the world we find fundamental considerations: the child’s discovering of his own possibilities and the limitations becomes explicit together with discovering the significability of the world. Only then can we see the emergence of fundamental anxiety, of the implications of care in the adult-child relation such as dependence, symbiosis and representation, and of the radical meaning of being mortal. Finally, we see how in the world of play and fantasy we find the place and maximal disposition for discovering and experimenting the possibilities of the self and the world which are intrinsic in the growth of each child.


O Tempo da Maturidade (João Augusto Pompéia)

Resumo: Neste texto não se está considerando a maturidade como sinônimo de idade adulta. A maturidade do homem é um modo de ser que: compreende e aceita as próprias limitações, bem como as possibilidades vislumbradas tanto em si mesmo como no mundo, tendo a visão da oportunidade; responde às solicitações do mundo numa entrega cuidadosa, reconhecendo que não sabe tudo, não pode tudo e que não é indispensável; e que, entretanto, aceita a responsabilidade pelo que percebe como sendo a sua parte no compartilhar a vida.

Palavras-chave: Maturidade, Ser- no- mundo, Plenitude, Liberdade, Renúncia

Abstract: The Time of Maturity Maturity is not considered a synonym of adulthood. Man’s maturity is a way of being which comprehends and accepts its own limitations as well as the possibilities glimpsed in itself and in the world, perceiving opportunities; it responds to the demands of the world by yielding carefully, realizing that it does not know everything, is not all-powerful and is not indispensable, but it accepts responsibility for what it perceives to be its part in sharing life.